'/> ·ï¡÷¡ï· V I D A Humana·ï¡÷¡ï·: Carta Aberta

agosto 15, 2004

Carta Aberta


Existe um caminho que a cada um é permitido trilhar...
Existe um tesouro que a cada um é permitido buscar...

A vida segue seu curso e, provavelmente, ainda que de forma lenta, nossos valores e prioridades irão mudar. Se ainda a pouco determinada coisa era extremante importante, agora, já não é bem assim. Surgiram e surgirão outras questões e cada qual foi e será devidamente considerada a mais importante.

A medida que tais questões ganham importância, geram ansiedade e um certo desconforto... O objeto, aquilo que se quer, é certamente muito variável em seu valor absoluto. Pode ser um livro, uma blusa, alguém... A questão é que o objeto existe e sua "falta" ou "necessidade" é nitidamente percebida. Embora a compreensão da percepção seja gradual, inevitavelmente vamos atingir um ponto no qual teremos de tomar alguma decisão.

Ainda que sem experiência para uma decisão adequada, primavera após primavera vamos nos conscientizando de uma espécie de contagem regressiva, afinal, as folhas do calendário parecem fugir... Ao mesmo tempo, a medida que avançam os dias, novos horizontes são contemplados, e muito do que porventura tenha nos causado certa ansiedade, tem seu valor naturalmente modificado. Nossos olhos não apenas desvelam novos valores, é nosso intimo que agora procura novos valores. Em cada etapa somos obrigados a lidar com esse filtro que a vida impôs, através do qual, diligentemente, estamos nos refinando.

Risos, dores... Momentos, tantos momentos... E todos nos moldam de maneira singular. Não há como fugir, somos obrigados a vivenciar. Provavelmente tal obrigação seja uma das coisas mais valiosas em nossa vida. Todas as vivências relacionadas seja lá ao que for, são o tesouro de cada um, aquele tesouro que ninguém poderá jamais roubar.

De certa forma, podemos considerar trazer em nosso intimo um metal bruto, grosseiro, que no dia a dia, hora a hora, em cada segundo de nossas vidas é moldado, lapidado. O primeiramente grosseiro transforma-se no contato com os outros. O metal bruto transforma-se em ouro, e o sonho alquimista se torna realidade na vida de cada um de nós! Eis o processo natural, muito embora seja possível observar uma luta vã por parte de alguns, que tentam e tentam transformar o ouro que trazem em mero barro.

Sendo assim, o que se pode desejar de melhor para este mundo e para cada um dos que nele habitam?

Eu desejo que consigamos construir no nosso presente o reconhecimento e que este reconhecimento seja a base de nossa compreensão, pois é esta compreensão o fundamento da paz!

Certamente cada um é responsável por si, mas nada impede que ajudemos uns aos outros.

Para o mundo intimamente construído por cada um, digo apenas que, independentemente da direção tomada, que a escolha seja sincera, que a compreensão possa ser alcançada e que a chegada seja feliz!

Allan Roberto Regis.

4 comentários:

Adauto Neves disse...

Parabéns!
Seu texto atraiu-me!
Gostei!
Seja bem vindo a minha jornada de certo modo também estaremos no mesmo vagão por um tempo!
Abraços!

Mistérios, Magias ou Milagres. disse...

É assim mesmo o que nos atrai hoje amanhã quem sabe nem lembramos mais.
A vida é um eterno vai e vem, com muitas perguntas e respostas.
Parabens amei seu blog abraços Heudes

Regina Martins disse...

Parabéns! Gostei do blog e estarei sempre por aqui! A vida é mesmo cheia de chegadas e partidas e todas são únicas. Um abraço!

Marco Aurelio Viana disse...

Parabéns