'/> ·ï¡÷¡ï· V I D A Humana·ï¡÷¡ï·: Fotos de Fadas - Elsie Wright e Frances Griffith

junho 20, 2008

Fotos de Fadas - Elsie Wright e Frances Griffith

Frances Griffiths, uma garotinha inglesa de dez anos de idade, vivia se perdendo em brincadeiras nos fundos de sua casa. O ano era 1917, e para explicar-se para sua mãe, Frances contou que estava brincando com fadas. Logo sua família começou a caçoar da crença infantil da garota, e foi então que sua prima mais velha, Elsie Wright, resolveu provar a história de Frances. Elsie tinha então dezesseis anos, pegou uma câmera fotográfica emprestada e uma hora depois de se aventurar no vale de Cottingley as primas voltaram para casa com inacreditáveis fotos de fadas.



Alguns anos depois a senhora Wright, mãe de Elsie, envolveu-se com a Sociedade Teosófica, que dava credibilidade a fotos de espíritos e afins. Ao assistir uma palestra em que fadas foram discutidas, ela lembrou-se das fotos e as entregou ao palestrante que tratou de passá-las a Edward Gardner. Ele as tomou a sério, e pediu a ajuda de diversos especialistas, entre eles ninguém menos que Sir Arthur Conan Doyle, criador do célebre detetive fictício Sherlock Holmes e notável figura do espiritualismo da época.

Doyle se impressionou muito com as fotos e, mesmo sem ser um perito fotográfico, declarou-as autênticas. Muitos atribuem o grande sucesso das fotos à credibilidade apaixonada que Doyle lhes emprestou, falando sobre como elas provavam que existia um outro mundo espiritual.

Os defensores da autenticidade das imagens concediam que elas poderiam ter sido forjadas, mas deveria ter sido muito complicado e as garotas eram apenas... crianças. Enquanto isto, céticos notavam diversas discrepâncias e detalhes suspeitos, como o detalhe de que Elsie já havia trabalhado em um estúdio fotográfico durante a guerra e talvez pudesse ter forjado as imagens apesar da pouca idade.

Mas provas definitivas da fraude só surgiriam mais de meio século depois. Em 1982, o perito fotográfico Geoffrey Crawley analisou o que se acreditavam ser as placas originais das fotografias. Sua conclusão foi simples e irrefutável: a câmera tipo "Midg" com que a primeira e mais famosa imagem, vista acima, teria sido tomada é incapaz de produzir uma fotografia tão nítida. A imagem que todos discutiram por décadas havia sido claramente retocada, e analisando a placa que se dizia ser a original, Crawley pôde indicar mesmo sinais claro de retoque, como a elipse que pode ser vista ao redor do rosto de Frances:


Na polêmica das críticas de Crawley, em março de 1983 as primas, aqora já idosas, finalmente "confessaram que as fadas nas fotografias eram na verdade desenhos que Elsie tinha feito, recortado e prendido com alfinetes". Era de início apenas uma travessura a pregar nos adultos que estavam caçoando das histórias sobre fadas inventadas pela pequena Frances, mas a dimensão que a brincadeira tomou, com o envolvimento de figuras como Doyle, fez com que as garotas não tivessem escolha a não ser "permanecer caladas".

Elsie e Frances comentaram o episódio no documentário de 1985, "Arthur C Clarke's World Of Strange Powers - Fairies, Phantoms and Fantastic Photographs":



Apesar da confissão, Frances insistiu que há mesmo fadas de verdade em Cottingley. Ou melhor, havia, "agora não há mais". Em 1997 o evento foi transformado em um filme de ficção, "Contos de Fadas: Uma história verdadeira", e em 2004 a fabricante de telefones celulares finlandesa Nokia contratou o fotógrafo inglês Rankin para criar imagens com o aparelho 7610 em homenagem ao evento. Com fadas de papel, claro:


Hoje, tanto Elsie quanto Frances já faleceram, mas suas fadas de papel permanecerão eternamente como a extraordinária história real de como duas garotinhas puderam enganar o criador do mais famoso detetive do mundo, demonstrando o enorme poder da fé.

***
Dezenas de fotos teriam sido tiradas pelas garotas, porém a maioria foi descartada por elas mesmas. Presumivelmente mostravam sinais de fraude ainda mais evidentes. Restam hoje apenas quatro além da mais famosa:















- http://www.ceticismoaberto.com/referencias/fadas.htm

2 comentários:

Maria José Speglich disse...

Oi
Obrigada por postar ni meu Blog.
Sabe infelizmente é assim mesmo. As gerações sempre entram em conflito.
Mas essa história das senhores ex-crianças fadas é muito interessante.
Eu não conhecia.
Um grande Beijo!

Edi disse...

Muito bom.
Já havia ouvido a respeito, mas sua postagem esgotou o assunto.
Valeu por dividir.